Policiais mineiros são presos no Pará

As Polícias Civil e Militar do Pará prenderam cinco policiais civis de Minas Gerais que realizavam uma operação clandestina de apreensão de um trator e, possivelmente, cobrança de dívida de jogo, financiada por um empresário mineiro de Belo Horizonte em Goianésia, no sudeste paraense. Ao serem descobertos, os policiais Samir Assunção Alves, Breno José de Alcântara, Gerair Saldanha de Castro, o ex-policial civil aposentado Sérgio Adriano da Silva e o funcionário da madeireira mineira Madesp, de Goianésia, Varlei Antonio Tavares, empreenderam fuga pela rodovia pA-150, furando duas barreiras policiais e trocando tiros com a polícia paraense.Durante a troca de tiros, saiu ferido Daniel Raimundo de Araújo, que transitava pela rodovia. Atingido por uma bala no braço, Araújo foi levado para um hospital daquele município. O superintendente da Polícia Civil no sul do Pará, Walter Rezende, disse à Agência Estado que os policiais mineiros estavam de férias e viajaram para Goianésia provalvelmente financiados pelo dono da madeireira Madesp, cujo nome disse ainda não saber."Em nenhum momento eles se identificaram como policiais e foram perseguidos como se fossem assaltantes, porque ao passarem numa barreira perto da hidrelétrica de Tucuruí, passaram a exibir suas armas para furar o bloqueio. Ficamos sabendo que eram da polícia mineira quando entraram numa serraria de um homem com quem mantinham amizade e preparavam-se para fugir de helicóptero quando foram cercados e se renderam", contou Rezende.Os cinco policiais vão responder por crimes de lesão corporal, abuso de autoridade e formação de quadrilha e ficarão à disposição da Justiça de Goianésia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.