Policiais reivindicam ajuste para inativos e pensionistas

O aumento da gratificação salarial para as categorias ativas das policias Civil, Militar e Científica, anunciado pelo Governo do Estado de São Paulo no último dia 3, mobilizou nesta quarta-feira policiais, oficiais da reserva, pensionistas e deficientes físicos, que não estão da lista dos que vão receber o benefício. O movimento reivindica a extensão do adicional para estas classes.Mais de 20 associações de ativos e inativos de todo o Estado, além de viúvas segurando cruzes negras, se encontraram em frente à Igreja dos Enforcados, na zona sul. A Praça da Liberdade foi o ponto de encontro e palco para a simulação de um enforcamento com paródia da música Onde Está o Dinheiro?, de Gal Costa. De lá, o "cortejo fúnebre" realizou outra concentração na Praça da Sé e seguiu para Secretaria de Segurança Pública, onde o grupo espera por uma audiência com um representante do governo."Nós somos excluídos e desprezados pelo governo, que esquece do homem e da mulher policias", disse o Coronel Hermes Bittencourt Cruz, presidente da Associação dos Oficiais da Reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo. O reajuste oscila entre 2% e 36,8%, de acordo com o número de habitantes no município em que o policial trabalha. O dinheiro deve ser repassado aos policiais ativos a partir de maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.