Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

Policial acusado de estuprar 12 mulheres tem prisão preventiva decretada

Peterson Cordeiro, de 30 anos, já estava detido temporariamente; ele também é suspeito de assassinar uma mulher de 22 anos

Julio Cesar Lima, Especial para o Estado

10 Agosto 2018 | 19h02

CURITIBA - O policial militar Peterson Cordeiro, 30 anos, suspeito de estuprar 12 mulheres e matar a jovem Renata Larissa dos Santos, 22 anos, teve decretada a prisão preventiva e deve ser transferido nos próximos dias de uma cela na PM, onde está temporariamente há duas semanas, para uma unidade do sistema prisional.

Renata foi encontrada morta na margem da Rodovia BR-376, em São José dos Pinhais (Grande Curitiba). Após prendê-lo, os policiais encontraram no celular dele imagens da jovem momentos antes de morrer. 

A delegada Eliete Kovalhuk informou, em entrevista coletiva, que o policial ficará detido durante as investigações, que estão sob responsabilidade da Delegacia da Mulher. 

Segundo a polícia, Peterson usava o fato de ser policial para impressionar as mulheres e depois se mostrava violento e as estuprava, geralmente na região do Zoológico, em local próximo das divisas entre Curitiba e São José dos Pinhais. 

Os crimes aconteceram até que uma das vítimas o denunciou à polícia, e após a divulgação de seu rosto outras vítimas surgiram. A defesa do policial disse, à imprensa, que ele nega os crimes e que todas as relações foram consensuais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.