Policial atira e garota pode ficar tetraplégica

Atingida por um tiro disparado pelo policial civil Gerson Ribeiro de Oliveira, de 32 anos, a jovem Fernanda Josely Leal, de 22, teve a coluna vertebral seccionada e poderá ficar tetraplégica, segundo os médicos do hospital Antonio Giglio, em Osasco, na Grande São Paulo. O disparo aconteceu na madrugada de hoje na portaria do Corvo Motoclube, onde estava acontecendo uma festa.Com a presença de um grande número de motociclistas, associados e amigos, o motoclube estava realizando uma festa junina cuja entrada era um quilo de alimento. Apesar da quantidade de bebida alcoólica consumida, não houve confusão, até a chegada do policial civil e do irmão André Ribeiro de Oliveira, de 30 anos. Os dois estão lotados no Garra.A dupla chegou tomando cerveja. O 2º sargento do Exército Fabrício Monteiro de Souza, que estava na portaria, explicou que não poderiam entrar com a bebida, pois a festa era beneficente e, como não se cobrava ingresso, os convidados deveriam consumir o que era vendido. Iniciou-se um discussão e Gerson sacou da arma. Efetuou um único disparo cujo projétil feriu de raspão Fabrício e atingiu no ombro Fernanda, que estava próximo. A bala, segundo os médicos, ao bater na clavícula desviou em direção ao pescoço e rompeu a medula.A garota, que trabalha como auxiliar administrativa em um supermercado, não era sócia do clube. Ela foi socorrida no hospital Antonio Giglio e deverá ser removida ao hospital Regional de Osasco, onde será submetida a cirurgia.Gerson foi autuado em flagrante no 1º DP de Osasco, por tentativa de homicídio e lesão corporal dolosa. Foi também ouvido por um delegado da Corregedoria e encaminhado ao presídio especial para policiais civis, no Carandiru.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.