Policial atira em carro blindado que tocou sirene

O delegado titular da 3.ª Divisão Anti-Seqüestro (DAS), Marcio de Castro Nelson, atirou ontem contra o pneu de um Audi blindado que passava pela Avenida República do Líbano, nos Jardins, zona sul de São Paulo, próximo da Rua Oliveira Pimentel, com a sirene ligada. O caso aconteceu por volta das 17h15.Segundo o delegado, quando o Audi se aproximou de seu Gol branco descaracterizado, pedindo passagem, ele logo desconfiou que o motorista do carro importado estava usando a sirene para se passar por policial e assim liberar o caminho no meio da avenida. Nelson parou a viatura, sacou a carteira funcional e pediu para que o motorista se identificasse. Como o motorista não obedeceu a ordem, ele mirou e atirou no pneu da frente do veículo blindado para obrigá-lo a parar. Minutos depois, mais de 20 policiais do Grupo de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) e do Grupo de Operações Especiais (GOE), unidades de elite da Polícia Civil, apareceram no local. "Eu fiquei com medo, achei que fosse um seqüestro quando vi aquele Gol branco", justificou-se o motorista particular Antônio Camillio, que estava indo levar o carro para a patroa. "Nunca uso a sirene, foi um acidente, meu pé escorregou do pedal e ela ligou", explicou Camillio. Ele será autuado por desacato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.