Policial civil é morto ao ter o carro roubado por trio na zona norte do Rio

Vítima havia deixado a delegacia onde trabalhava para jantar em casa quando foi abordado pelos criminosos

estadão.com.br,

21 Outubro 2011 | 09h29

SÃO PAULO - O policial civil Renan Rosa Patrício, de 43 anos, que atuava pela 27ª Delegacia, de Vicente de Carvalho, na zona norte do Rio, foi morto a tiros, na noite de quinta-feira, 20, ao ter o carro, um Kia Cerato, roubado próximo à delegacia de Rocha Miranda.

Segundo a polícia, Renan havia deixado a delegacia onde trabalhava para jantar em casa quando foi abordado por três criminosos, armados de fuzis, na Rua Marupiara. Baleado, o policial morreu quando era atendido no Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes. O trio fugiu com o carro, que foi abandonado minutos depois na Rua Emílio Goeldi, no bairro de Coelho Neto, distante 1 quilômetro do local do roubo. Os criminosos continuam foragidos.

Duplo homicídio - No final da noite de quinta-feira, 20, um homem encapuzado matou a tiros Renan Luís de Araújo, de 23 anos, e Alan das Chagas Castro, de 32, após descer de um táxi Meriva e invadir um bar, na esquina da Rua Pereira de Figueiredo com a Rua Henrique Braga, no bairro de Oswaldo Cruz, na zona norte do Rio. As vítimas, segundo testemunhas, estavam sentadas e conversavam junto a uma das mesas do estabelecimento. Acredita-se em crime de acerto de contas relativas ao tráfico de drogas, pois quatro trouxinhas de maconha foram encontradas em um dos bolsos de Renan. Após atirar contra os dois clientes do bar, o assassino voltou para o carro, no qual fugiu. O duplo homicídio foi registrado na Divisão de Homicídios da capital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.