Policial civil é morto em tentativa de assalto em SP

O escrivão de polícia Marco Paulo Fernandes Gonçalves, de 23 anos, que ainda cumpria estágio probatório da Polícia Civil, foi baleado e morto no final da noite desta terça-feira, em frente à casa de um amigo, na zona leste de São Paulo. O escrivão, que ainda não havia concluído o curso de Direito, e o auxiliar de escritório Davis da Silva, de 28 anos, foram visitar o operador de telemarketing Émerson Henrique Leite, de 29 anos. Após a visita, Leite acompanhou os amigos até a porta da residência, onde estava estacionado o carro do policial civil. Quando se preparavam para entrar no veículo, um desconhecido se aproximou, apontou uma arma e anunciou o assalto, exigindo o veículo de Gonçalves. O escrivão teria reagido e tentado sacar sua pistola calibre 40. O bandido foi mais rápido e atirou contra a cabeça do jovem, que morreu no pronto-socorro do Hospital Geral de São Mateus. Os dois amigos do escrivão correram para o interior da casa e só tomaram ciência de que Gonçalves havia morrido após a chegada de policiais militares. O bandido, um rapaz branco, magro, com aproximadamente 1.60m de altura, trajando blusa de moleton azul e calça jeans, fugiu sem levar nada. O caso foi registrado no 69º Distrito Policial, de Teotônio Vilela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.