Policial diz que Estácio de Sá é maior mercado de drogas do Turano

Coordenadora do setor de inteligência da Polícia Civil, a inspetora Marina Maggessi disse neste domingo que os estudantes do câmpus da Universidade Estácio de Sá, no Rio Comprido, zona norte do Rio de Janeiro ? onde a estudante Luciana Gonçalves de Novaes, de 19 anos, foi baleada ? formam o grande mercado consumidor das drogas vendidas pelos traficantes do Morro do Turano.A conclusão se baseia em conversas de traficantes da região gravadas pela polícia. ?Eles (os traficantes) estavam esperando as aulas começarem para poderem comprar fuzis?, afirmou Marina.Marina, que defende uma postura mais dura na repressão aos usuários, não acredita, porém, que existam alunos vendendo drogas dentro da universidade nem que Luciana tenha sido vítima de uma disputa por pontos-de-venda de entorpecentes. ?Isso não existe.?Luciana melhoraLuciana já começou a despertar do coma induzido por medicamentos, suspensos pelos médicos neste sábado. Eles esperam que até terça-feira ela esteja consciente, para iniciar os exames neurológicos que indicarão se a estudante vai recuperar os movimentos. Luciana deve ser operada novamente nesta semana, para fixação da mandíbula atingida pela bala.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.