Policial do Garra é executado em SP

O policial civil Maurício dos Reis, de 44 anos, agente do Garra - Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos, foi executado, por volta das 19h de ontem, com 3 tiros, quando chegava em casa, na Rua Bartolomeu Bejarano, no Jardim Novo Santo Amaro, região do Guarapiranga, zona Sul da capital paulista. O policial, ferido no rosto, abdômem e em uma das pernas, ainda foi levado por uma unidade de resgate do Corpo de Bombeiros para o Pronto-Socorro Municipal do Campo Limpo, onde morreu. Ele chegava de carro em sua residência quando foi cercado por pelo menos três homens. Um deles atirou três vezes.Reis era casado e pai de dois filhos, um de oito e outro de 15 anos; atuava administrativamente havia 14 anos no Garra e possuía 20 anos de Polícia Civil. O caso foi registrado no plantão noturno do 37º Distrito Policial, do Campo Limpo. Acredita-se em crime de vingança ou mesmo queima de arquivo, pois o policial participaria nesta segunda-feira de um depoimento relativo a processo sobre um assalto por ele sofrido há três meses. Um dos bandidos teria sido preso e depois conseguiu fugir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.