Policial é condenado por matar jornalista na Bahia

O policial civil Mozart Brasil foi condenado a 18 anos de prisão pelo assassinato do jornalista Manoel Leal, ocorrido em janeiro de 1998 na cidade de Itabuna, sul da Bahia. O julgamento terminou na madrugada deset sábado depois de quase 24 horas de sessão no Tribunal do Júri de Itabuna. Na quinta-feira, um dos acusados de participação no crime, o motorista Thomaz Iraci Guedes, foi inocentado pela mesma corte. Um terceiro envolvido no crime, Marcone Sarmento, está foragido. Duas testemunhas foram categóricas ao afirmar terem visto o policial Mozart Brasil dar o primeiro tiro em Manoel Leal no momento em que ele chegava em casa. Os familiares de Leal acusam o ex-prefeito de Itabuna Fernando Gomes de ser o mandante do assassinato. Na época do crime, Manoel Leal, através do seu jornal A Região, fazia oposição a Gomes, tendo publicado várias denúncias de supostas irregularidades praticadas pelo prefeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.