Policial e jornaleiro morrem durante assalto em SP

A reagir contra dois assaltantes, por volta das 19h de ontem, o jornaleiro Vicente Alves de Paula, de 46 anos, proprietário da banca em Cerqueira Cesar, apanhou seu revólver de calibre 38. Enquanto ele trocava tiros com os ladrões, veio em seu auxílio o cabo PM Ricardo Correia do Amaral, de 33 anos, lotado no CPAM10. Ambos foram baleados e morreram ao serem socorridos no Hospital 9 de Julho. Os criminosos fugiram, mas podem estar feridos.O jornaleiro já havia dado o dinheiro aos assaltantes, que também apanharam revistas e outros produtos da banca, mas sua reação chamou a atenção do PM que passava pelo local em direção à Av. 9 de Julho. O militar, que estava à paisana, deu voz de prisão, empunhando uma pistola de calibre 380, mas os assaltantes responderam com tiros. o PM, que era casado e tinha dois filhos - de 4 e de 8 anos -, integrava a Polícia Militar há 7 anos. No momento do tiroteio, ele retornava do trabalho e levava a farda numa sacola de náilon pois deveria se encontrar com um amigo, Claudino Pereira Júnior, em companhia de quem iria à igreja evangélica Comunidade de Cristo.Ao saber do tiroteio, Claudino foi ao local e reconheceu o amigo. Segundo ele, um dos filhos de Ricardo esteve muito doente e, por isso, o PM foi à igreja a convite do próprio Claudino. A criança sarou e o PM passou a freqüentar a igreja, na companhia do amigo, uma vez por semana.

Agencia Estado,

22 de setembro de 2001 | 09h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.