Policial flagrado jogando pedras durante manifestação no Rio é afastado

Vídeo mostra agente que subiu no telhado da Câmara Municipal durante protesto de professores na terça

O Estado de S. Paulo

04 Outubro 2013 | 15h15

RIO -  A Polícia Militar informou nesta sexta-feira, 4, ter afastado o policial que subiu no telhado da Câmara de Vereadores do Rio na terça-feira, 1, e jogou pedras em manifestantes que protestavam contra a votação do plano de cargos e salários dos professores na última terça-feira, 1. Um vídeo que mostra ação do policial, que está sem camisa, foi divulgado pelo vereador Jefferson Moura (PSOL), que recebera a filmagem de funcionários da Casa.

Após a divulgação, a subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança do Estado informou que o policial foi identificado e que o material foi encaminhado à Corregedoria Interna da PM. O policial, que seria lotado no serviço reservado da corporação, vai ser punido, segundo a PM, mas a punição ainda não foi divulgada. "Mais um flagrante de repressão descontrolada. Este sujeito só teve acesso ao telhado da Câmara com autorização de alguém", comentou o vereador Renato Cinco, também do PSOL.

Imagens divulgadas em redes sociais indicam que policiais também teriam se posicionado nas duas cúpulas do Palácio Pedro Ernesto, que ficou sitiado durante a votação, para lançar bombas contra manifestantes na Cinelândia.

O plano de cargos e salários acabou sendo aprovado. Apenas nove vereadores, entre eles Moura e Cinco, deixaram a sessão e recusaram-se a votar enquanto professores eram espancados do lado de fora, sob uma chuva de bombas de gás.

Mais conteúdo sobre:
protestos professores Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.