Estadão
Estadão

Policial militar é executado a tiros na praia da Reserva, no Rio

Segundo testemunhas, dois homens dispararam várias vezes contra a cabeça dele e fugiram; cabo era ex-genro de chefe de milícia

Fabio Grellet, O Estado de S. Paulo

20 Agosto 2015 | 20h39

RIO - O cabo da Polícia Militar Carlos Eduardo Conceição Dias foi morto a tiros na tarde desta quinta-feira, 20, na praia da Reserva, na zona oeste do Rio. Ele estava de folga, aproveitando a praia ao lado de uma mulher que deixou o local antes da chegada da Polícia Civil. Ela não havia sido identificada até o início da noite.

O carro da vítima, uma BMW X1 ano 2011, avaliada em R$ 75 mil, estava estacionado perto da praia, na altura do quiosque Ilha 23, e foi revistado pela polícia. Dentro do veículo foi encontrada uma pistola calibre 12.

Segundo testemunhas, dois homens desceram de uma moto, foram até a areia, onde o policial estava sentado em uma cadeira de praia, dispararam várias vezes contra a cabeça dele e fugiram. Nenhum objeto da vítima foi roubado.

Dias era PM havia sete anos. Trabalhava na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fazendinha, no complexo de favelas do Alemão, na zona norte. Ele era ex-genro de Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, chefe da maior milícia do Rio, a Liga da Justiça, e que está preso. O cabo já havia postado nas redes sociais várias homenagens ao ex-sogro, como a foto de um anel com o símbolo do super-herói.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.