Policial militar mata esposa com tiro acidental

A dona-de-casa Marluce Aparecida Santana, de 24 anos, morreu na tarde de domingo com um tiro no olho, disparado acidentalmente pelo próprio marido, o policial militar Aristides Lemes da Cunha Júnior. O acidente aconteceu na casa onde o casal morava, na Vila Industrial, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba.Segundo parentes de Marluce, ela estava sentada na cama do casal, conversando com o soldado, enquanto ele vestia a farda para ir a Osasco, na Grande São Paulo, onde trabalhava no 16º Batalhão da Polícia Militar. O disparo, que atingiu o rosto da vítima, aconteceu quando o policial foi colocar a arma na cintura. Desesperado, ele ainda tentou socorrer a mulher que, encaminhada ao Pronto Socorro Municipal, morreu pouco tempo depois. Em estado de choque, o policial chegou a ficar internado em observação e ainda passa a maioria do tempo sob efeito de sedativos.Os pais da dona-de-casa também ficaram chocados e não quiseram comentar a fatalidade. Um parente de Marluce contou que o casal se dava muito bem e se preparava para oficializar a união ainda este ano. A vítima foi enterrada hoje de manhã no Cemitério de Santana, em São José dos Campos. O soldado se apresentou à polícia civil de São José dos Campos logo depois da morte da mulher e vai responder à sindicância interna do Batalhão da PM de Osasco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.