Policial pode ter matado jovem em show dos Titãs

O proprietário da empresa responsável pela segurança no show do grupo Titãs em Campinas, Flávio Couto, afirmou nesta segunda-feira que um policial civil foi o autor do tiro que matou o adolescente Luiz Felipe Paraná Fischer, de 17 anos, na madrugada da última sexta-feira.Segundo ele, o policial estava à paisana no local, contratado para garantir a segurança dos bares da Unicamp. O adolescente vendia cordões em frente ao Ginásio da Unicamp, onde ocorria o show, quando foi baleado e morto.Couto admitiu que portava uma arma e que fez quatro disparos. Mas garantiu que não atingiu o garoto. A confusão ocorreu porque um grupo de pessoas quis entrar no ginásio à força, sem pagar ingresso. Segundo Couto, a empresa pôs 44 homens para a segurança do evento.O dono da Queops, Quefren e Micherinos Musics Produção, que promoveu o show, José Vicente Marum, negou a contratação de policiais à paisana para fazer a segurança no local. O delegado da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Campinas, Renato Vieira, que conduz as investigações, não foi encontrado nesta segunda-feira para falar sobre o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.