Polícias e Receita intensificam fiscalização em Foz

As polícias Federal, Rodoviária, Militar, Receita Federal e Agência Nacional de Transportes Terrestres intensificaram as operações de fiscalização na Ponte da Amizade, que liga o Brasil ao Paraguai, em razão das festividades de fim de ano, que costumam atrair mais sacoleiros para a região de Foz do Iguaçu. O objetivo da Operação Cataratas é reprimir o contrabando de mercadorias e o tráfico de drogas e armas.No fim de semana, os policiais já conseguiram prender dois homens que tentavam trazer armas ao Brasil. Houve troca de tiros, mas ninguém saiu ferido. Com os traficantes foram apreendidos três fuzis, uma submetralhadora, uma pistola e bastante munição. A polícia apurou que as armas seriam vendidas a quadrilhas paulistas especializadas em assaltos a casas de câmbio e carros-fortes.Também foi detido um taxista de Ponta Porã (MS), com 114 quilos de maconha no fundo falso de uma picape, que vinha do Paraguai. Em razão da fiscalização, os policiais apreenderam ainda contrabando de aproximadamente 700 quilos de agrotóxicos de diversas marcas. A mercadoria, avaliada em R$ 500 mil, estava escondida sob sacos de rações numa casa num bairro de Foz do Iguaçu.Na operação de repressão ao contrabando de mercadorias, a Receita Federal está contando com o reforço de mais 60 fiscais que se deslocaram de outras regiões. A fiscalização vai se estender também por hotéis onde normalmente os sacoleiros guardam as mercadorias. Na BR-277, que dá acesso a Foz do Iguaçu, os postos ficarão abertos 24 horas, sendo parados ônibus, caminhões e automóveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.