Pontilhão histórico é roubado em Guaranésia

Um pontilhão que começou a ser construído há 100 anos e foi inaugurado em 1912, foi roubado por inteiro na última semana em Guaranésia, Minas Gerais. Construído com tecnologia inglesa e americana pela empresa Andrew Carringer, que fez as ferrovias da região, ele estava intacto até ser vendido como ferro velho. A denúncia é da Fundação Cultural de Guaranésia.O presidente da entidade, o artista plástico Gilberto Ribeiro Alves, garante que este é o terceiro e o mais importante pontilhão roubado nas ferrovias desativadas, prejudicando qualquer intenção futura com relação ao turismo rural ou histórico em Guaranésia. Segundo ele, havia um processo de tombamento em andamento, mas o roubo prejudicou tudo.A Polícia já tem o nome da empresa de Santa Cruz das Palmeiras, em São Paulo, que teria comprado o pontilhão. Ao todo, foram 20 toneladas de material em puro aço. Embora seja um patrimônio abandonado pela Fepasa, a Fundação Cultural quer pleitear na justiça indenização pelo furto, para investir na restauração de uma antiga estação, que é o pouco que ainda resta da história da ferrovia na cidade.

Agencia Estado,

07 de fevereiro de 2004 | 16h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.