População afetada pelas chuvas tem risco de contaminação

Pelo menos 10 casos suspeitos de leptospirose já foram notificados em Ilhota e Blumenau

Julio Castro, de O Estado de S. Paulo,

30 de novembro de 2008 | 18h19

Ainda não há, oficialmente, registro de pessoas que possam ter se contaminado pela leptospirose, porém o diretor de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina Luiz Antônio Silva informou que pelo menos 10 casos suspeitos já foram notificados. Eles foram identificados nas cidades de Ilhota e Blumenau. Em Itajaí, a regional de saúde de também está monitorando alguns casos suspeitos da doença provocada pela água contaminada por urina de rato.A prioridade, segundo o diretor de vigilância epidemiológica de Santa Catarina Luiz Antônio Silva é dar assistência à população a qualquer sinal da moléstia. "É o tipo de doença inevitável, porém o nexo da moléstia só sairá depois dos exames laboratoriais", afirmou Silva, acrescentando nos casos observados foram observadas as sintomáticas da doença, como dor de cabeça, febre alta e dores musculares, principalmente na panturrilha. Estes sintomas ainda podem aparecer nas pessoas contaminadas em até 30 dias após o contato.    Veja também: Saiba como ajudar as vítimas da chuva IML divulga lista de vítimas identificadas Repórteres relatam deslizamento em Ilhota  Mulher fala da perda de parentes em SC Tragédia em Santa Catarina  Blog: envie seu relato sobre as chuvas  Blog Ilha do sem Blumenau  Blog Desabrigados Itajaí  Blog Arca de Noé  Veja galeria de fotos dos estragos em SC   Tudo sobre as vítimas das chuvas     A principal recomendação para prevenir o contágio pela bactéria da leptospirose fundamenta-se em não ingerir alimentos que ficaram submersos, nem mesmo os enlatados, evitar contato com a lama usando sempre luvas e botas de borracha. Para evitar outros tipos de doenças adquiridas pela ingestão de água contaminada, a recomendação é tratar a água com hipoclorito de sódio.   O produto está sendo distribuído gratuitamente pela Secretaria de Estado da Saúde a todos os municípios que foram atingidos pela enchente. Na região de Itajaí cinco mil litros já chegaram à população. Conforme a técnica em Vigilância Sanitária, Marly Conceição, a água ficará tratada e pronta para o consumo após a adição de duas gotas de hipoclorito na caixa d'água. "As pessoas já podem solicitar o produto nos abrigos ou na secretaria municipal de saúde", recomenda Marly.   Outras doenças como hepatite e tétano também são comuns em situações de enchente. O alerta é para que as pessoas que sentirem dores musculares, febre ou apresentarem coloração amarelada procurem imediatamente atendimento médico.   Hospital de campanha   Começa a funcionar, a partir das 8 horas de segunda-feira, 1, o Hospital de Campanha (HCamp) da Força Aérea Brasileira (FAB). Sua estrutura móvel foi montada no final de semana no entroncamento entre as rodovias BR 101 e Jorge Lacerda, no trevo de acesso a Itajaí. Sua infra-estrutura permite o atendimento de até 400 pessoas por dia com os mais variados problemas de saúde. O atendimento será exclusivo aos pacientes encaminhadas pelos centros de triagem dos municípios atingidos pela enchente em Santa Catarina.   Cerca de 80 profissionais da FAB, incluindo 40 médicos já chegaram a Itajaí. Com quase 50 tendas e 30 leitos, o HCamp conta com um leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Ele permite a realização de consultas médicas e odontológicas, de cirurgias e de atendimentos emergenciais, ou ainda o encaminhamento para outras unidades hospitalares.   Segundo o Superintendente de Hospitais Públicos de Santa Catarina, Roberto Hess de Souza, o local é estratégico para o atendimento da população das cidades de Itajaí, Ilhota, Gaspar e Blumenau, onde estão cerca de 80 mil pessoas desabrigadas. Ao menos 30 mil pessoas estão em abrigos. "O apoio do hospital ajudará a estrutura de saúde nesta fase em que podem aparecer doenças, como a leptospirose e a hepatite", afirma o superintendente.   A remoção das pessoas com diferentes quadros clínicos será feita em ambulâncias ou, em caso de urgência, em um dos 15 helicópteros que apóiam o atendimento de saúde na região. O modelo do Hcamp usado tem sete módulos (barracas) climatizados, os quais podem ser montados em diversas configurações, dependendo da necessidade, para o funcionamento de unidade de atendimento e emergência, raio-X, enfermaria, odontologia, centro de terapia intensiva, laboratório e farmácia.   Na operação em Santa Catarina, o hospital militar terá equipes nas especialidades básicas de clínica médica, ortopedia, pediatria, ginecologia e odontologia. Cerca de 80 militares, de diversas especialidades e de equipes de apoio, participarão do esforço de atendimento na área de saúde, além das equipes de helicópteros e aeronaves de transporte da FAB que operam a partir do Aeroporto de Navegantes.   "Depois da inundação, nossa maior preocupação é o aparecimento de doenças, principalmente aquelas transmitidas pela água contaminada", explica o Tenente-Coronel-Médico Gilberto do Amaral Teixeira, da Subdiretoria de Logística da Diretoria de Saúde da Aeronáutica (DIRSA).   Horário de verão   A Prefeitura de Itajaí, em Santa Catarina, suspendeu no fim da tarde deste domingo, 30, o horário de verão para os servidores públicos municipais. O prefeito Volnei Morastoni pede que todos compareçam a suas Secretarias a partir das 8 horas desta segunda-feira, 01.   De acordo com o prefeito, esta atitude foi tomada para que a Prefeitura tenha à disposição os funcionários pelo máximo de tempo possível para auxiliar no trabalho de reestruturação da cidade. Cada Secretário ficará responsável pela distribuição de trabalho para seu pessoal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.