Por pouco, Lula vence debate, diz leitor do Portal Estadão

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi o vencedor - por pouco mais de um décimo de ponto porcentual - do debate realizado na noite de sexta-feira pela Rede Globo, de acordo com enquete realizada pelo Portal Estadão. Os leitores do portal que viram vitória de Lula e responderam à sondagem, encerrada pouco depois das 14h, são 50,06%. Os que viram vitória do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), são 49,94%. A diferença entre ambos ficou em 0,12 ponto porcentual. A enquete perguntava, "Quem foi melhor no debate da TV Globo?".Diferente dos outros três embates entre os dois candidatos, o debate da noite de sexta-feira mostrou o petista menos irônico e o tucano com um estilo menos "Mike Tyson", mas ainda centrado em duras críticas ao governo do PT. O debate teve momentos duros. Acusado de deixar prosperar o PCC em São Paulo, Alckmin chegou a afirmar que o PCC não é ligado a seu partido. Antes, Lula havia provocado: ?Se ele cuidou da segurança como diz que cuidou, o resultado é que a maior quadrilha de gangue estava dentro da cadeia.?Na etapa final do confronto, Alckmin perguntou a Lula por que todas as pessoas que fizeram perguntas aos candidatos relataram problemas. O petista respondeu: ?As coisas que estão acontecendo é o governo federal (sic.) que coloca dinheiro.? E completou: ?Não existe hoje, neste País, um programa social que não seja do governo federal, tirando os cento e sessenta mil qualquer coisa aí do Alckmin. Cada brasileiro sabe que não é possível consertar em quatro anos o que não foi feito em quarenta.?Incisivo, o tucano cobrou a menção irônica de Lula aos ?cento e sessenta qualquer coisa aí do Alckmin?. E disse: ?Precisamos ser mais respeitosos. São 160 mil pessoas que recebem o Renda Cidadã, programa social do governo de São Paulo, não são cento e sessenta e qualquer coisa.?Apesar do tom duro do debate, durante ato público realizado neste sábado, em São Bernardo do Campo, Lula fez um apelo à governabilidade, caso se concretize sua reeleição. "Eu acho que a sociedade brasileira clama por isso. Acho que os partidos políticos entendem que tem hora de brigar e tem hora de a gente votar e administrar o País", disse. "E vocês sabem que sou um homem de paz. Ou seja, acabou a disputa eleitoral. Quem ganhar governa este País. Esta é a consagração da democracia".Já Alckmin, em evento de campanha realizado no Rio de Janeiro, afirmou que sente " a onda da virada nas ruas". Segundo as pesquisas eleitorais, Lula é o franco favorito para vencer o pleito deste domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.