Porteiro que matou arquiteta é condenado a 33 anos de prisão

O porteiro Jadson José dos Santos, de 32 anos, acusado de matar a arquiteta Jamile de Castro Nascimento, foi julgado ontem à tarde e condenado a 33 anos de prisão. De acordo com a sentença do juiz Klaus Marrouelli Arroyo, da 23ª Vara Criminal do Fórum da Barra Funda, Santos deverá cumprir a pena em regime fechado e sem direto a recorrer em liberdade.O porteiro foi julgado pelos crimes de latrocínio (roubo seguido de morte) e ocultação de cadáver. O crime aconteceu em 17 de julho deste ano. A arquiteta tinha ido fazer a avaliação de um apartamento no Edifício Ilhas das Palmas, na Rua Luftalla Salim Achoa, na Vila Mariana, zona sul, quando desapareceu. No mesmo dia, a família da vítima identificou um saque de R$ 500 da conta dela. A polícia apurou que o dinheiro foi usado na compra de dois celulares. No dia seguinte ao desaparecimento, Santos foi preso com o carro de Jamile e com os cartões e os documentos da vítima. Inicialmente, ele negou o crime. Posteriormente, segundo a polícia, confessou o crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.