Portela unida quer esquecer fatalidade do ano passado

Faltando pelo menos uma hora e meia para Portela desfilar, seus baluartes estão presentes. Paulinho da Viola, Noca da Portela, seu filho Noquinha, Paulão Sete Cordas - maestro de Zeca Pagodinho - e Cristina Buarque já estão concentrados. Paulinho disse que viajou muito no segundo semestre do ano passado mas, mesmo assim, conseguiu acompanhar a escola. "Só não pude ainda conhecer a Cidade do Samba, que fica na zona portuária do Rio, mas vou assim que puder." Noca da Portela foi enfático ao afirmar que é hora dos portelenses se unirem. "Houve uma fatalidade no ano passado e a velha guarda ficou fora, mas raio não cai duas vezes no mesmo lugar", disse com concordância plena de Paulinho da Viola.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.