Porto Alegre terá câmeras para ajudar na segurança

A prefeitura de Porto Alegre e a Brigada Militar já têm pronto um plano para instalar até o final do ano, no centro da capital gaúcha, 12 câmeras de vídeo que auxiliem na segurança das ruas. Os equipamentos serão colocados nas esquinas de maior circulação com o objetivo de inibir os assaltos e identificar criminosos, e as imagens serão monitoradas a partir de um núcleo. Cada câmara tem um alcance de visão de 250 metros e pode fazer o trabalho de 48 policiais militares, de acordo com o estudo da PM. Considerando o turno de trabalho dos policiais, esse potencial se multiplica por quatro. A proposta original sobre a vigilância eletrônica do centro da capital gaúcha foi elaborado ainda em 1998, mas permaneceu em banho-maria em função de uma polêmica sobre a "invasão de privacidade" atribuída à presença de câmeras nas ruas. Sistemas semelhantes existem em outras capitais do País, como Florianópolis e Fortaleza, onde há controle para evitar o uso indevido das imagens. "Nossa legislação vai ser bem rigorosa, para controlar as imagens e evitar manipulações. Apenas a Justiça e o Ministério Público terão acesso às gravações", afirmou o assessor especial Luiz Eduardo Soares, ex-secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.