Porto da Pedra entra na avenida com Mandelas à frente

Com um enredo sobre a África do Sul, especialmente sobre apartheid, regime separatista racial que vigou por anos no país africano, a Porto da Pedra já esta na Marquês de Sapucaí, na abertura do segundo dia dos desfiles do Grupo Especial do carnaval carioca. Pouco antes do desfile, a escola teve um susto: o diretor de carnaval Carlos de Castro teve um princípio de enfarte na concentração da escola e foi levado para o hospital Souza Aguiar, onde foi atendido. Logo depois, ele estava de volta ao sambódromo para o desfile. A comissão de frente da escola faz alusão ao líder Nelson Mandela, que liderou a resistência ao governo branco racista e por isso ficou mais de 20 anos preso. Os integrantes da comissão, todos com máscaras de Mandela, evoluem na avenida com uma grande bandeira com as cores do país africano. Na escola também há várias alusões à rica fauna do continente africano.

Agencia Estado,

19 Fevereiro 2007 | 21h36

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.