Porto da Pedra tem problemas com carro alegórico na concentração

A Porto da Pedra, que abriu o desfile no sambódromo do Rio nesta segunda-feira, teve problemas com o quinto de seus carros alegóricos. O carro, que faz uma homenagem para as mães de filhos desaparecidos e mortos e traz como destaque a mãe de Cazuza, Lucinha Araújo, não conseguiu entrar na avenida por conta de seu tamanho. Lucinha Araújo, presidente da associação Viva Cazuza, foi retirada às pressas da alegoria para poder desfilar no chão mesmo. "A emoção é a mesma, não tem problema, o que importa é a alegria da escola". Os outros destaques também deixaram o carro. O problema atrasou a passagem da Porto da Pedra. Considerado o mais importante pelo carnavalesco da escola, Kaeh Rodrigues, o carro foi serrado na concentração para poder participar do desfile. Para não criar um buraco e atrapalhar a evolução, alas tiveram de se adiantar e entrar na Marquês de Sapucaí antes do previsto, ultrapassando a alegoria quebrada. Kaeh disse que, apesar do problema técnico, o sonho não estava perdido. Ele acreditava na retirada do carro e no prosseguimento do desfile. De fato, a equipe técnica retirou o carro e a ala das baianas pôde entrar na avenida. Rodrigues foi abraçado pelo carnavalesco da Mangueira, Max Lopes: ?Ele não teve culpa. Foi problema técnico da escola?, solidarizou-se.

Agencia Estado,

27 Fevereiro 2006 | 22h04

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.