Portugal julgará suspeito de favorecer Riviera

O Tribunal de Instrução Criminal de Coimbra decidiu ontem que o presidente do clube de futebol Acadêmica da Coimbra e ex-secretário municipal de Urbanismo, José Eduardo Simões, vai ser julgado por oito crimes de corrupção. O caso envolve o Riviera Group, que no Brasil é suspeito de favorecimento no projeto de mudança em leis urbanísticas em São Sebastião. Simões poderá pegar pena de 1 a 8 anos de prisão. Ele é acusado de autorizar construções que violavam o Plano Diretor de Coimbra em troca de dinheiro para o clube. Teria beneficiado o Riviera ao liberar a construção de um andar a mais em edifícios num condomínio de luxo próximo do Rio Modego. A prefeitura depois mandou demolir os andares adicionais e a construção ficou parada por dois anos. O empresário que dirige o Riviera, Emídio Mendes, não será julgado. Segundo o Jornal de Notícias, ele fez um acordo com a Promotoria. Vai doar 5 mil a uma instituição social e testemunhar contra Simões. Mais dois empresários da construção civil serão julgados. Em São Sebastião, o Riviera é acusado de ter favorecimento pelo prefeito Juan Pons Garcia (PPS) no projeto de Plano Diretor que permitia construir prédios de até 20 andares. O Estado tentou ontem contato com o Riviera em Portugal, mas não teve resposta.

Sérgio Duran e Jair Rattner, O Estadao de S.Paulo

27 Setembro 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.