Posse é suspensa após questionamentos

Num telefonema pouco antes do meio-dia de Benjamin Zymler à mulher, Maria Lenir Ávila Zymler, ficou resolvido que ela não tomaria posse no cargo de assistente parlamentar da liderança do PR. O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU) acabara de receber o questionamento do Estado sobre a nomeação, publicada no Diário Oficial da véspera.

, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2011 | 00h00

Por meio de sua assessoria, Zymler informou que Lenir "não tinha interesse" em assumir o posto, com remuneração superior a R$ 8 mil mensais. Não deu detalhes também sobre como ocorreram o convite e a nomeação, assinada pela direção do Senado na quarta-feira passada.

O gabinete da liderança do PR informou que a data da posse da mulher do presidente do TCU não havia sido marcada. Tampouco a liderança foi informada sobre a desistência de Lenir em assumir o posto, ontem.

Nascimento. Procurado pelo Estado, o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, não quis se manifestar sobre a nomeação. Por meio de sua assessoria, informou que, apesar de ser o presidente nacional licenciado do PR, "não acompanha nem interfere na rotina diária dos gabinetes dos parlamentares e lideranças da legenda no Congresso Nacional".

Alfredo Nascimento está licenciado do cargo de senador por causa do ministério. No ano passado, disputou o governo do Amazonas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.