Possibilidade de mais chuva deixa Rio em estado de atenção

Bombeiros registraram 138 ocorrênicas entre segunda-feira e terça-feira causadas pela tempestade; uma pessoa pode ter morrido afogada perto da Praça da Bandeira

PRISCILA TRINDADE, Central de Notícias

26 Abril 2011 | 09h21

SÃO PAULO - Deve voltar a chover nesta terça-feira, 26, no Rio de Janeiro, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), que prevê a ocorrência de acumulado de chuva significativo durante todo o dia de hoje. Desde a noite de ontem, a zona norte da capital fluminense sofre com um temporal que atingiu a região. Segundo o Alerta Rio, o município está em estado de atenção, que é o segundo em uma escala de quatro estágios e se caracteriza pela possibilidade de chuva moderada, ocasionalmente forte, nas próximas horas.

 

De acordo com a Defesa Civil, entre as 19 horas de ontem e esta manhã foram registradas 138 ocorrências, 58 delas por alagamentos. Também houve registros de desabamentos parciais. Nas regiões da Tijuca e Maracanã, a chuva causou alagamentos intransitáveis nas Ruas Teodoro da Silva, Barão do Bom Retiro, Pereira Nunes, Conde de Bonfim, no Boulevard 28 de Setembro, Rua Uruguai, Avenida Radial Oeste, Praça da Bandeira e Avenida Maracanã. Um corpo foi resgatado nas imediações da Praça da Bandeira. O Corpo de Bombeiros acredita que a pessoa tenha sido vítima de afogamento.

O deslizamento de uma pedra causa a interdição da Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, em frente ao Morro da Árvore Seca. O bloco de rocha do tamanho de um caminhão atingiu a pista nesta madrugada. Não houve vítimas. Equipes da Geo-Rio estão no local para avaliar a encosta. A recomendação é que os motoristas evitem a via. A melhor opção de rota, no sentido Jacarepaguá, é o Alto da Boa Vista e a Linha Amarela, e no sentido Grajaú, a Estrada do Pau Ferro e a Linha Amarela.

O Centro de Operações informou que a probabilidade de desmoronamento é muito alta nas encostas da região da Grande Tijuca, Andaraí, Lins, Grajaú, Rio Comprido e Alto da Boa Vista. A orientação da Defesa Civil é para que as pessoas que moram em áreas de risco se dirijam a pontos de apoio em locais seguros e permaneçam lá até a chuva parar.

Alerta. O Centro de Operações Rio informou que às 6 horas desta manhã a Defesa Civil suspendeu o alerta das sirenes em 11 comunidades da Grande Tijuca que, devido às fortes chuvas que atingiram a cidade, estavam em situação de alto risco. As comunidades que haviam sido acionadas esta noite foram Borel, Formiga, Chacrinha, Matinha, Cotia, Encontro, Santa Terezinha, Dona Francisca, Morro dos Macacos, Morro da Liberdade e Cachoeira Grande.

Nestas áreas, o índice pluviométrico havia ultrapassado os 40 milímetros em uma hora. Em todos esses locais, agentes comunitários orientaram os moradores a deixar suas casas e a se dirigir aos pontos de apoio em cada comunidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.