Pouca saia, muita bota

São apenas 35 centímetros de saia. E nada modestos 50 centímetros de bota. No teste da régua, é essa a diferença de tamanho entre as peças que formam a dupla Roberto e Erasmo deste inverno, em um verdadeiro revival da moda inventada por Wanderléa na época da Jovem Guarda. ?O que fiz foi adaptar a minissaia criada por Mary Quant, que tinha quatro dedos acima do joelho, ao jeitinho brasileiro, bem mais ousado?, lembra a cantora. ?Comecei então a usar saias quatro dedos abaixo da pélvis.?O fato é que o visual ?Ternurinha? está de volta, como pode ser visto nas vitrines dos shoppings e nas baladas mais movimentadas da cidade. ?A saia desta temporada tem 35 ou 40 centímetros, no máximo?, explica a estilista e consultora Denise Morais, que também dá palestras no Senac Moda Informação. Segundo ela, a tendência está ainda mais forte na Europa. ?Lá, as marcas já estão até confeccionando calcinhas do mesmo material das saias, estratégia muito usada nos anos 60 e 70 para que a roupa íntima não atrapalhasse o visual.? Dona de uma grife que tem o seu nome, Andréa Bilinski se encarrega de levar para as ruas a moda que desenvolve para a loja. ?Há uns oito meses estou usando bastante saia curta com botas de cano longo.? De acordo com ela, esse é um look para mulheres de personalidade. ?É para quem tem coragem de dizer algo como: Eu sou assim mesmo, e daí? Essa é atitude certa para que o visual não pareça vulgar.? Para Andréa, as peças combinam com complementos e acessórios mais básicos, como uma camiseta branca e um cinto. ?Às vezes, a gente quer caprichar demais e acaba errando feio.? Uma dica para fugir do abominado ?efeito Mulher Maravilha? é, segundo ela, ter bom senso na hora de combinar as peças. TecidosAlém do tamanho reduzido, as saias da estação têm em comum design trabalhado. As tendências, no entanto, são variadas, passando da colegial, com pala e pregas, até a militar, cheia de bolsos. Nos tecidos, a mesma diversidade. O jeans serviu tanto para modelitos de colegial usados por Sabrina no Big Brother Brasil quanto para saias mais retas e justinhas, as preferidas das adolescentes. Mas também há lã, microfibra, cetim e seda. ?As jeans e cargo são para o dia. Já as de tecidos mais finos são ideais para a noite?, ensina a consultora Denise. Ela garante que as minissaias devem virar coqueluche no verão. Para não errar na compra e aproveitar a peça na próxima estação, uma dica: opte por cores mais neutras. ?Preto, bege e alguns tons de rosa, que estão em quase todas as coleções de inverno, continuarão na moda no verão.? Denise diz ainda que é bom evitar as peças com estampas, que certamente vão mudar bastante. A gerente de Produto da Les Filós, Claudia Zemel, concorda que o uso da minissaia tende a crescer com a alta nos termômetros. ?No verão, vai pegar ainda mais, por causa do calor e das pernas bronzeadas.? A grife produziu modelos em jeans, lã, microfibra e cetim, entre outros. TruquesDe acordo com estilistas, a volta das mínis estava sendo ?tramada? há alguns anos. No mundo da moda, todos achavam que era a hora de, mais uma vez, mudar, ?criar?. As coleções propunham o fim do reinado soberano da saia na altura do joelho, que havia virado um grande coringa, por ser elegante e cair bem em quase todas as mulheres. Usar uma míni, no entanto, requer pernas torneadas, de preferência mais finas e alongadas. Na dúvida, dá para lançar mão de alguns truques, ensinados pelos consultores. Um deles é preferir uma peça ?nem tão míni assim?. No complexo mundo da moda, uma saia alguns dedos acima do joelho está hoje dentro do ?conceito de míni?, mesmo sem mostrar muito. ?Temos várias que se enquadram na definição de míni, mas são apenas um palmo acima do joelho?, diz a gerente de Produto da Siberian, Sandra Faria. ?A pessoa fica na moda, mas está bem-vestida. Pode até enfrentar um dia de trabalho.? Mesmo assim, usar essas saias requer alguma arte, segundo a especialista Wanderléa. ?Não é para qualquer uma. A mulher precisa usar a míni com elegância. Tem de andar e, principalmente, se sentar de forma cuidadosa.?Veja no link abaixo alguns modelos do visual ?ternurinha?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.