Pouso de emergência "salvou" piloto seqüestrado

O piloto Alexandre Wolf Janini, seqüestrado na manhã de sábado por dois assaltantes, que roubaram o avião monomotor Corisco PT-NEV, poderia ser assassinado depois que a aeronave fosse vendida no Paraguai por US$ 20 mil (cerca de R$ 60 mil). A informação é do delegado da Polícia Civil de Naviraí, no extremo sul de Mato Grosso do Sul, Claudinei Galinari. Alexandre foi rendido em Campinas, interior de São Paulo e teve que pilotar o aparelho até Naviraí.O avião sofreu pane seca (ficou sem combustível) e teve que pousar em uma lavoura de feijão a 40 quilômetros daquela cidade. Sofreu algumas avarias porém está em condições de voar. Amanhã, depois de periciado, será liberado e entregue ao Aeroclube de Campinas, proprietário da aeronave.Alexandre está liberado desde a tarde do sábado, porém teve que passar por cuidados médicos devido ao estado de tensão, e hoje já pode ir para casa, em Campinas. Os dois assaltantes, identificados como Heronn Thalif Braianes, de 20 anos, e Danilo Miguel de Jesus, de 32, disseram que pretendiam vender o avião no Paraguai por US$ 20 mil.O monomotor está avaliado em R$ 150 mil e continua pousado na plantação de feijão da Fazenda Nossa Senhora Aparecida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.