Divulgação/Defesa Civil
Divulgação/Defesa Civil

PR: Depois das chuvas, prefeito de Londrina decreta estado de emergência

Chuva causou a morte de um ciclista e um bebê no Estado e afetou outras cem mil pessoas

Evandro Fadel, O Etsado de S.Paulo

17 Outubro 2011 | 16h23

CURITIBA - O prefeito de Londrina, Barbosa Neto (PDT), decretou estado de emergência em razão das chuvas que caíram na semana passada e afetaram cerca de 100 mil pessoas no município, de acordo com boletim da Defesa Civil do Paraná. Em outros treze municípios, particularmente do norte do Estado, outras 12 mil pessoas também tiveram problemas com as chuvas. Duas pessoas morreram, uma em Londrina e outra em Ortigueira.

No domingo, o sol apareceu em praticamente todo o Estado, mas as consequências das chuvas ainda eram sentidas. Em Londrina, um prédio de quatro andares, com 16 apartamentos, foi interditado pelo Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, em razão de ter apresentado rachaduras nas paredes e buracos em volta da edificação. Dados da Defesa Civil do Estado apontavam que havia cerca de 500 pessoas desabrigadas ou desalojadas no Estado.

O corpo de Luiz Henrique Caetano, de 26 anos, foi encontrado domingo, a cerca de 1,5 quilômetro do local onde desaparecera na quinta-feira. Ele ia de bicicleta para o trabalho, quando se perdeu sobre uma ponte coberta pela água e foi arrastado para dentro de um córrego. Em Ortigueira, o bebê Wendi Natali de Rezende Matias, de apenas 15 dias de vida, foi arrastado pela enxurrada na zona rural.

Os pais estavam em um carro que teve problemas mecânicos. Ao descerem, foram levados pelas águas do Rio Apucaraninha. O bebê acabou arrancado dos braços do pai. O casal salvou-se agarrando-se em árvores. De acordo com o Corpo de Bombeiros, uma camionete arrastada pela enxurrada em Londrina foi encontrada próximo ao Lago Igapó, mas até a tarde de ontem não havia queixa de desaparecimento.

Mais conteúdo sobre:
chuva morte londrina atenção chuvas no PR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.