Praia Grande é a cidade mais violenta do estado

O Instituto Fernand Braudel apontou o município de Praia Grande, na Baixada Santista, como a cidade mais violenta do estado de São Paulo, levando-se em conta o coeficiente de homicídios dolosos, roubos em geral e furtos/roubos de veículos registrados por 100 mil habitantes no decorrer do ano passado. Com base nos dados fornecidos pela própria Secretaria da Segurança Pública, o instituto estabeleceu um comparativo do número de habitantes e de ocorrências em 1995 e em 2000.A cidade, que tinha 143,6 mil habitantes em julho de 95, teve um crescimento populacional de 33%, atingindo 190 mil habitantes em julho de 2000. O coeficiente de homicídios dolosos, que era da ordem de 40 por 100 mil habitantes em 95, mais que dobrou nestes cinco anos. Os roubos também apresentaram vertiginoso crescimento, passando do coeficiente de 540 em 95 para 1.380 no ano passado, o que representa uma média de 10 a 15 ocorrências diárias. Diadema, que era a cidade mais violenta em 99, teve uma redução de 25% dos crimes no ano 2000, passando para a terceira colocação. Itapevi é o segundo município mais violento do estado.CadeiãoDepois de contestar o título de cidade mais violenta do estado, em razão do instituto não levar em conta o fluxo de veranistas e turistas - que eleva a população local de 200 mil para 1 milhão durante a alta temporada - o prefeito Alberto Mourão (PMDB) reconheceu que o coeficiente de crimes no município é elevado. Hoje mesmo, Mourão anunciou a sua intenção de pedir o fechamento da Cadeia Pública, o Cadeião, conhecido como Dacar-10, uma vez que os homicídios registrados naquele estabelecimento contribuem para aumentar o percentual de ocorrências em Praia Grande.Mourão calcula que quase um terço das mortes em sua cidade ocorrem dentro do Cadeião. "O próprio governo do Estado reconheceu que o Cadeião de Praia Grande é o que tem maior superlotação e registra o maior número de casos de tentativas de fugas em todo o estado", argumentou. Só de janeiro a julho deste ano, foram registrados 19 homicídios, do total de 84 registrados em Praia Grande. Com capacidade para 512 presos, o estabelecimento penal abriga 1100 homens.

Agencia Estado,

14 de agosto de 2001 | 18h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.