Praias do Guarujá ignoram lei que proíbe reserva de espaço na areia

A determinação da Justiça Federal contra a reserva de espaço nas areias do Guarujá ainda não chegou a um dos lugares mais nobres da cidade. Na Praia de Pernambuco, além de vários quiosques, até o sofisticado resort Sofitel Jequitimar desrespeitou a determinação de não manter guarda-sóis e cadeiras vazios na orla. Na tarde de ontem, cerca de 10 guarda-sóis e 30 espreguiçadeiras estavam enfileirados na frente do hotel, a maioria vazia, contrariando determinação em vigor desde outubro no município."É um absurdo. O hotel não pode delimitar um espaço que é público", afirmou o administrador Maurício Salvo, de 34 anos, que estava na praia e normalmente fica nas cadeiras montadas pelos quiosques próximos do resort. "Mesmo sabendo que a área não é do hotel, a gente fica constrangido de colocar o guarda-sol ali porque é como se fosse", disse o vendedor Maurício Russo, de 37 anos.Além do resort, vários quiosques e barraqueiros desrespeitavam a lei ontem, deixando mesas, cadeiras e guarda-sóis na praia. "O cliente acabou de sair e ainda não deu tempo de tirar", justificou Antônio de Souza, de 18 anos, sobre três guarda-sóis e cadeiras vazios na frente do quiosque Sol e Mar.A prática de reserva de espaço na areia era comum principalmente nas Praias de Pitangueiras e Astúrias, onde há muitos condomínios. A situação mudou, mas, mesmo assim, um dos condomínios mantinha guarda-sóis vazios ali à tarde. A assessoria de Imprensa do Sofitel Jequitimar afirmou que o resort "nunca reservou espaço na areia, mesmo antes da lei". E informou que as esteiras e guarda-sóis são colocados somente a pedido dos hóspedes e, provavelmente, eles teriam saído da praia sem avisar os funcionários do hotel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.