Prazo do bilhete único sobe para três horas

Começa hoje o benefício que permite aos passageiros fazer até quatro viagens nesse período, por R$ 2,30

O Estadao de S.Paulo

28 de julho de 2008 | 00h00

A partir de hoje, os usuários do bilhete único terão uma hora a mais para usar o benefício. O prazo de validade aumentou de duas para três horas. Os passageiros poderão fazer até quatro viagens de ônibus nesse período, pagando o preço de uma passagem, R$ 2,30. A ampliação não vale para o bilhete único de estudante ou do trabalhador, que recebem ajuda de custo.A mudança também inclui a integração com a CPTM e o Metrô. Nesse caso, o passageiro pagará R$ 3,65 e poderá fazer no máximo três viagens de ônibus e uma de metrô ou trem. De acordo com a SPTrans, 6 milhões de pessoas usam diariamente o sistema de transporte de São Paulo e podem ser favorecidas pela medida.O aumento beneficiará principalmente moradores de regiões mais afastadas do centro. Segundo a Prefeitura, a medida atende a reivindicações de usuários que não conseguiam fazer as viagens no prazo, por percorrerem grandes distâncias ou por causa do congestionamento. A ampliação do período de validade custará R$ 80 milhões por ano aos cofres públicos. De acordo com a Prefeitura, a renúncia de receita decorrente da medida não resultará em futuros reajustes na tarifa dos ônibus. O gasto seria compensado pelos R$ 120 milhões anuais que a Prefeitura estima arrecadar com medidas de combate a fraudes no bilhete único, em vigor desde março.A mudança foi criticada por candidatos de oposição, que a consideram eleitoreira, por ter sido anunciada a 80 dias do pleito municipal. O prefeito Gilberto Kassab (DEM) nega. Ele afirma que a ampliação foi possível graças aos esforços para reduzir fraudes e à renegociação de contratos com empresas de ônibus, que garantiriam receita anual extra de R$ 260 milhões.Essa não foi a única melhoria oferecida pelo bilhete único anunciada em ano de eleição. Em março, foi criado o Bilhete Amigão, que amplia para oito horas a validade do cartão aos domingos e feriados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.