Pré-candidatos apresentam suas propostas

Os quatro pré-candidatos do PSDB à Prefeitura de São Paulo deram ontem uma pequena mostra de como tentarão ganhar a preferência dos militantes para disputar as eleições em 2012.

O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2011 | 03h01

O primeiro a falar foi José Aníbal. Citou ex-governadores - Mário Covas e André Franco Montoro - e defendeu a descentralização da gestão municipal. Salientou também a importância de se combater a injustiça. "A cidade de São Paulo é muito desigual", disse ele.

Já Ricardo Trípoli apontou o transporte público como o grande problema paulistano. "Pego congestionamento dentro do meu estacionamento". Ele arrancou risos ao comentar que, no Butão, país asiático, o desenvolvimento se mede por meio da felicidade. "São 700 mil habitantes felizes. São Paulo tem 11 milhões, terceiro orçamento do País e as pessoas não estão felizes", comparou. "Não que o Butão seja referência, mas alguma coisa esquisita acontece".

Andrea Matarazzo não perdeu a chance de ironizá-lo: "Melhor ser triste em São Paulo". Seus cinco anos de experiência como secretário municipal foram destaque em seu discurso. Atualmente na Cultura, defendeu uma cidade "mais amigável" e mais bem cuidada.

Bruno Covas - favorito de Geraldo Alckmin e neto de quem o governador foi vice e herdou o primeiro mandato, Mário Covas - defendeu a acessibilidade. Além disso, identificou poucas opções de lazer na cidade. "Em qualquer fim de semana ou feriado prolongado a gente vê o êxodo". Se eleito, prometeu diminuir a concentração dos espaços públicos. / D. C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.