Pré-candidatos buscam voto de brasileiros que moram no exterior

Eleitores que moram fora do País têm até dia 5 para se cadastrar e partidos usam a internet para mobilizá-los

Adriana Carranca, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2010 | 00h00

Os pré-candidatos estão de olho no voto dos brasileiros fora do País. É um eleitorado que pode chegar a 3 milhões, embora só 174 mil já tenham transferido o título para um dos 146 municípios eleitorais no exterior. Eles têm até o dia 5 para se cadastrar, segundo prazo definido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O TSE colocou no ar propaganda convocando os brasileiros no exterior a votar. Anúncios com informações sobre como se cadastrar e o prazo final para transferir o título foram distribuídos às emissoras brasileiras com veiculação no exterior.

Em paralelo ao TSE, os partidos investem nesse eleitor. O PSDB lançou a campanha Mobiliza Mundo, com páginas na internet e perfil no Facebook. O site disponibiliza os endereços eletrônicos das embaixadas brasileiras e consulados, prazos, documentação necessária, locais de votação. Na semana passada, José Serra participou de um bate-papo com brasileiros fora do País via Twitter, onde já acumula mais de 180 mil seguidores.

Dilma Rousseff não deixou por menos. Respondeu a perguntas de blogueiros e twitteiros no exterior durante toda a semana, como parte das ações para divulgar seu blog. No domingo, um post publicado no blog Mulheres com Dilma convocava brasileiras que vivem no exterior a "participar do processo eleitoral do Brasil". O blog lançou uma rede internacional pró-Dilma, durante encontro para discutir estratégias de mobilização, em Berlim.

Há seis anos vivendo em Londres, a brasileira Isabela Souza, consultora de sustentabilidade da PricewaterhouseCoopers e professora da Universidade de Londres, votará pela primeira vez. "Os eleitores que deixam de votar em três eleições consecutivas têm sua inscrição cancelada pela Justiça Eleitoral, então acabei transferindo o título para Londres este ano. Mas é algo que toma tempo, então, a maioria acaba se cadastrando só no último momento", diz Isabela.

No segundo turno das eleições de 2006, o tucano Geraldo Alckmin obteve 53,8% dos votos de brasileiros no exterior, superando o presidente Lula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.