Reuters
Reuters

Prédio da Assembleia Legislativa em Salvador é cercado pelo Exército

PMs em greve e homens do Exército se confrontaram na manhã desta segunda-feira

Tiago Décimo - atualizado às 15h30,

06 Fevereiro 2012 | 11h57

SALVADOR - O prédio da Assembleia em Salvador, tomado pelos PMs amotinados, foi cercado por 1.070 homens no início da tarde desta segunda-feira, 6. A maior parte dos homens é do Exército, vindo a seguir a Força Nacional e homens da Polícia Federal. O clima é de tensão, mas sem conflitos. Negociações prosseguem no interior da Assembleia.

Pela manhã, policiais militares em greve desde o dia 31 de janeiro entraram em confronto com soldados do Exército em frente ao prédio da Assembleia Legislativa.

Cerca de 300 PMs estão acampados no prédio, junto com as famílias, e os homens da Forças Armadas usaram balas de borracha para impedir a entrada de mais grevistas no edifício. Durante o tumulto, os policiais desistiram de entrar no prédio e recuaram.

Pelo menos uma bomba de efeito moral foi usada e deixou ferido um cinegrafista da TV Bandeirantes, que teve sangramento pelo nariz. O fotógrafo da Secretaria de Comunicação do Governo da Bahia, Elói Corrêa, foi atingido por um tiro de bala de borracha no braço.

Familiares que acompanhavam os PMs amotinados saíram do prédio durante a madrugada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.