Prédio desaba na área tombada de São Luís

Um edifício de dois andares localizado na área tombada do centro histórico de São Luís desabou na noite de domingo, 16, por causa das fortes chuvas que caíram na capital maranhense. O telhado do prédio havia sido reformado recentemente e as tesouras de sustentação do telhado não agüentaram o peso da água.O incidente não deixou feridos, mas serviu para lembrar o risco que os 1.300 prédios do centro histórico de São Luís correm. Existem dois relatórios sobre o assunto. De acordo com o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), há 59 casarões em estilo colonial ameaçados de desabamento, enquanto um relatório da Defesa Civil dá conta de 107 edificações do tipo em situação de risco. Os casarões de São Luís são considerados importantes porque, além de guardarem as características arquitetônicas do período pombalino, motivo pelo qual parte do bairro do Desterro é chamado de "Pequena Lisboa", alguns ainda têm a fachada revestida com raros azulejos de origem espanhola, portuguesa e holandesa. Segundo a superintendente do Iphan, Kátia Bogea, o imóvel não fazia parte da lista de 59 imóveis levantados pelo órgão. "Este prédio não era um dos casarões de estilo colonial de São Luís, mas está na área tombada e ele obedecia a volumetria da área. Mas foi uma grande surpresa para nós quando soubemos do desabamento do telhado. Este imóvel inclusive estava para alugar", disse a superintendente do Iphan.A última vez que um casarão desabou na capital maranhense foi em 2004, quando parte de um casarão de três andares que era usado como pensão desabou. Ninguém ficou ferido na ocasião, mas este foi o terceiro caso registrado naquele ano. Em 2002, a situação foi mais crítica e 14 prédios históricos ruíram num ano em que registrou um dos períodos mais rigorosos de chuva nesta década.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.