Corpo de Bombeiros de Minas Gerais
Corpo de Bombeiros de Minas Gerais

Prédio em construção em Betim tomba e moradores das imediações são retirados às pressas

Bombeiros são acionados para o risco de desmoronamento de um edifício de cinco andares na região metropolitana de Belo Horizonte; não há registro de vítimas

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2020 | 09h03
Atualizado 19 de novembro de 2020 | 10h52

Moradores da Avenida Ayrton Senna, no bairro Ponte Alta, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), foram retirados às pressas de suas residências na noite de terça-feira, 17, após um prédio de cinco andares ainda em construção tombar e apresentar risco para outras casas da vizinhança. Não houve registro de vítimas na ocorrência.

Segundo o Corpo de Bombeiros, moradores da vizinhança começaram a ouvir estalos vindos da estrutura do prédio, por volta de 23h45, quando se depararam com a edificação se inclinando. A corporação foi acionada por risco de desmoronamento no prédio localizado no número 548 da avenida.

A Superintendência Municipal de Defesa Civil afirma que o prédio ainda corre o risco de desabar, pois a estrutura da edificação apresenta estalos e está cedendo. "O local foi isolado e 15 famílias vizinhas foram retiradas de suas casas", disse, em nota.

Além de sete viaturas do Corpo de Bombeiros que se deslocaram para o local, a Polícia Militar, a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Guarda Municipal e a Defesa Civil de Minas Gerais também foram acionadas para apoio.

Por telefone, a confeiteira Harabela Oliveira, de 24 anos, disse que se assustou ao avistar o prédio inclinado. Ela trabalha em um estabelecimento que fica a 100 metros da edificação. "A loja não foi afetada, apenas casas que ficam ao redor do prédio. Todas as famílias foram retiradas do local, mas o movimento ainda é grande. Parte da rua permanece interditada. No momento, pelo menos não chove, está apenas nublado", relatou a jovem no início da tarde desta quarta-feira, 18.

A Defesa Civil está avaliando se parte da estrutura da edificação pode ter ficado comprometida em razão da chuva forte que atingiu a região na noite de terça-feira. Também está verificando se as casas vizinhas foram afetadas.

Representantes da Procuradoria-Geral do Município se reuniram no início da tarde de quarta-feira com o advogado da construtora Abrahim Hamza Construções Eireli, responsável pela obra. A prefeitura "exigiu que a empresa realoque as famílias imediatamente, sob pena de acionar judicialmente a empresa. Foi requerido, também,  que a construtora faça  a demolição do prédio", conforme recomendação da Defesa Civil.

De acordo com a Secretaria Municipal de Ordenamento Territorial e Habitação, a obra "estava devidamente licenciada, possuía alvará de construção, licença ambiental e responsável técnico cadastrado nos órgão responsáveis."

Fortes chuvas

A chuva deve interferir nos trabalhos. Conforme a Climatempo, a previsão é de chuva durante o dia e à noite.

Segundo a Defesa Civil, na noite anterior, caiu em Betim 75 mm de chuva, concentrados em pouco mais de 1 hora. Até o momento, foram recebidos 22 chamados, 7 já foram atendidos e os demais serão acolhidos ao longo da manhã. Foram registrados pontos de alagamento, transbordamento de córregos nas Avenidas Juiz Marco Túlio Isaac e Edmeia Matos Lazzarotti, queda de muro e de árvores, além de invasão de água em residências nos bairros Sítio Poções e Icaivera.

Desde o início da madrugada, os níveis do Rio Betim e do Riacho da Areias estão normalizados e seguem sendo monitorados. A Defesa Civil também monitora a barragem Várzea das Flores que está abaixo do limite e não oferece risco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.