Prédios no entorno do restaurante estão fora das normas de segurança

As construções são anteriores à norma de segurança contra incêndio e pane, em vigor desde 1977

Agência Brasil,

13 Outubro 2011 | 19h45

RIO DE JANEIRO - Boa parte dos edifícios no entorno do prédio onde funcionava o Restaurante Filé Carioca, na Praça Tiradentes, que explodiu no começo da manhã desta quinta, 13, matando três pessoas e ferindo 17, não está adaptada à norma de segurança contra incêndio e pane, em vigor desde 1977.

"Temos prédios anteriores à 1977 que foram construídos sem obedecer a essa norma. Então cobramos que essas construções se adaptem a essa legislação atual", disse o secretário de Defesa Civil, Sérgio Simões.

O restaurante, de acordo com o secretário, não existia para o Corpo de Bombeiros. "No projeto que foi apresentado, não consta a instalação de um restaurante", declarou Simões, ressaltando que a rotina de fiscalização dos bombeiros é apenas verificar restaurantes que tenham registro no sistema da corporação, o que não é o caso do Filé Carioca.

Ele disse, ainda,que nenhuma loja do condomínio onde ficava o restaurante tinha autorização para usar cilindros de gás.

Já a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) informou que o restaurante funcionava sob autorização de um alvará provisório e que durante três anos o proprietário o renovava porque não tinha a documentação necessária para o documento definitivo.

Simões declarou que o Corpo de Bombeiros do Rio vai intensificar a fiscalização de prédios antigos do centro da capital fluminense para verificar o nível de segurança de cada um deles.

Sobre o prédio onde ocorreu a explosão, o secretário disse que não existe risco de desabar. "Não há riscos de desabamento, embora as vigas e colunas de sustentação tenham sofrido danos graves, a estrutura não foi danificada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.