Prefeita visita Pirajuçara e discute com moradora

A visita da prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), à região do Pirajuçara, na zona Oeste, no fim da tarde de ontem, terminou em bate-boca em rede nacional. Desde que retornou à cidade, ela procurou a imprensa para falar sobre as enchentes. Numa entrevista à Rádio CBN, admitiu que a solução dos problemas depende da construção de sete piscinões. Ela espera que uma emenda suprapartidária de deputados federais paulistas seja aprovada e garanta recursos para obras, que de outra forma poderiam demorar até 26 anos. Ao visitar a região, porém, acabou surpreendida. Após entrevista ao programa Brasil Urgente, a dentista Simone Vassalo Correia foi cobrar providências. A prefeita respondeu inicialmente em voz baixa, mas depois mudou o tom e retrucou aos gritos. Simone acabou contida por seguranças. A prefeita virou as costas e entrou numa casa, onde a discussão continuou. Veja abaixo, trechos do bate-boca: Simone Correia - Eu pago R$ 5 mil de imposto para ter consultório alagado, para ter tudo alagado. Então, a senhora não sabe, meu pai está aqui, há 20 anos, a senhora está falando que é um problema de 26 anos. Entendeu, a senhora planta coqueiro (..) onde a senhora fica. Marta Suplicy - Onde se paga R$ 20 mil de IPTU. Simone - Não grita comigo. (Prefeita se retira para a residência e começa a falar como é gasto o dinheiro da cidade) Marta - São 200 mil vagas novas para as crianças desta cidade. (E as pessoas perguntam) onde gastamos o dinheiro? Simone - Mas por que plantar coqueiro? O coqueiro está todo debaixo d´água agora. (Diz, entre risos) Marta - A periferia inteira está sendo recapeada e o coqueiro é porque as pessoas pobres desta cidade têm direito a ter coqueiro também. Simone - Pessoas pobres querem comida, querem moradia, entendeu? Marta - Comida... nunca se teve tanta refeição na cidade. Simone - Que refeição? O povo passa fome. (...) Marta - A senhora quer fazer demagogia, minha senhora, faça. Simone - Que demagogia? Marta - Agora, nunca se fez tanto.. nós temos 300 mil famílias... Simone - O que a senhora está fazendo? Marta - 300 mil... Simone - O que a senhora está fazendo? (Repete ainda várias vezes) Marta - Ouça! (gritando) Temos 300 mil famílias em projetos sociais da Prefeitura, que recebem complemento de renda, que estariam morrendo de fome se a gente não fizesse isso... Simone - O povo está morrendo de fome... Marta - (gritando mais alto) Está sim... Simone - Não grita comigo, que não estou gritando... Marta - ...Mas o que a gente está fazendo... nunca foi feito... Simone - A senhora não está fazendo nada, nada... Marta - Isto na sua opinião, o que posso fazer? (Retira-se)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.