Prefeito afastado por improbidade renuncia

Dezesseis dias depois de ter sido afastado pela Justiça, por improbidade administrativa, Antônio Sérgio Mello Buzzá (PMDB) renunciou, no final desta tarde, ao cargo de prefeito de Ribeirão Bonito. A Câmara havia aberto uma Comissão Processante, que poderia votar por seu impeachment em poucas semanas. Buzzá, acusado de ter desviado cerca de R$ 1 milhão dos cofres públicos, protocolou a renúncia no Fórum às 16 horas. Pouco antes, um amigo leu sua breve carta-renúncia numa emissora de rádio comunitária.Ribeirão Bonito tem pouco mais de 10 mil habitantes e está localizada na região de Ribeirão Preto. Com a saída de Buzzá, o vice Antonio Angelo Fabbri (PMDB) - que é sogro do filho de Buzzá - permanecerá no cargo até o final de 2004. Buzzá não divulgou os motivos de sua renúncia, apenas fez um texto curto e formal para afastar-se da prefeitura. No sábado, ele tinha faltado ao depoimento na Câmara, que fora transferido para hoje.Com a renúncia, Buzzá perde o foro privilegiado. "Foi uma conquista nossa, pois com a renúncia ele praticamente declarou sua culpa no caso", disse Laurília Ruiz de Toledo Veiga Alquezar, advogada da Amigos Associados de Ribeirão Bonito (Amarribo), a ONG que recebeu as denúncias e mobilizou a sociedade local para afastar o prefeito do cargo. Ela acredita que a Câmara continuará com as investigações, já que existe a suspeita de que Buzzá teria um forte esquema de corrupção, como o fornecimento de notas fiscais falsas e irregularidades em contratos de merenda escolar, combustível e de prestações de serviços.No dia 8, a juíza Adriana Alberguetti Albano acatou o pedido do promotor Marcel Zanin Bombardi, em ação civil pública, e afastou Buzzá e outros quatro funcionários públicos, além de colocar seus bens em indisponibilidade.

Agencia Estado,

24 de abril de 2002 | 19h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.