Prefeito de Itu vai depor sobre morte de seu advogado

O delegado da Polícia Civil de Itu, Nicolau Santarém, vai convocar o prefeito da cidade, Herculano Passos Júnior (PV) para prestar depoimento no inquérito que apura a morte do advogado Humberto da Silva Monteiro, assassinado com um tiro na cabeça, no fim de janeiro. Em entrevista à imprensa, o prefeito acusou o vice-prefeito Élio Aparecido Oliveira Júnior (PSC) de envolvimento no crime. Das cinco pessoas presas por suspeita de participação, duas eram ligadas ao vice, segundo ele. O suspeito de contratar os assassinos, Nicéias Oliveira Brito, que está foragido, trabalhava como chefe de segurança de Oliveira Júnior, segundo Herculano. Ex-parceiros políticos, o prefeito e o vice estavam rompidos desde maio do ano passado. Oliveira Júnior, que é empresário de futebol, negou qualquer envolvimento e atribuiu as acusações a divergências políticas. Monteiro era advogado pessoal do prefeito e durante seis anos atuara também como advogado do vice-prefeito. Ele foi abordado na região central da cidade por dois homens em uma motocicleta. Um deles fez 4 disparos contra o veículo onde estava o advogado e o jornalista Josué Dantas Filho. Uma das balas atingiu Monteiro na cabeça. Cinco suspeitos de participação no crime estão presos. Brito teve a prisão temporária decretada e espera-se que se apresente à polícia ainda hoje. O delegado voltou a afirmar que o crime ainda não está solucionado. "As investigações prosseguem."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.