Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Prefeito de Mariana se reúne com Temer para pedir volta da Samarco

Duarte Júnior (PPS) solicitará ainda recursos para compensar queda na arrecadação do município com paralisação de atividades

Leonardo Augusto, Especial para o Estado

01 de junho de 2016 | 09h46

BELO HORIZONTE - O prefeito de Mariana, Duarte Júnior (PPS), vai pedir nesta quarta-feira, 1º, ao presidente da República em exercício, Michel Temer (PMDB), recursos para compensar a queda na arrecadação do município com a paralisação das atividades da mineradora Samarco. Duarte Júnior vai defender ainda junto ao presidente em exercício que a Samarco volte a operar no município.

A empresa teve a licença de operação suspensa pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Minas Gerais depois do rompimento em 5 de novembro do ano passado da barragem de Fundão, que mantinha em Mariana. A lama vazada na queda da estrutura matou 18 pessoas, deixou uma desaparecida e destruiu o distrito de Bento Rodrigues.

O prefeito quer que os recursos, que serão utilizados para manutenção de "serviços básicos", conforme Duarte Júnior, sejam incluídos dentro do acordo de R$ 20 bilhões fechados pelos governos federal, de Minas Gerais e do Espírito Santo com a Samarco e suas duas controladoras, Vale e BHP Billiton, para recuperação do meio ambiente e socioeconômica da população atingida pela tragédia.

Em maio, durante visita a Mariana, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, recusou-se a assinar termo de conformidade proposto pela prefeitura pelo retorno do funcionamento da Samarco.

"Vamos demonstrar também que a volta das atividades da empresa e sua responsabilização pela tragédia são importantes. Não dá para continuar penalizando a população", afirmou o prefeito. "A mineração é importante para nossa economia."

A volta depende da análise de documentação e autorização da Secretaria de Meio Ambiente. O encontro de Duarte Júnior com Temer está previsto para as 15 horas no Palácio do Planalto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.