Prefeito de São Roque rompe com o PT

Irritado com o excesso de cobranças dos vereadores do Partido dos Trabalhadores (PT), o prefeito de São Roque, José Fernandes Zito Garcia (PMDB), publicou hoje portarias demitindo cinco dos seus assessores ligados ao partido. Com isso, rompeu a coligação que lhe dera sustentação para vencer as eleições em outubro de 2000. O vice-prefeito do município, Antonio Carlos Rodrigues, é do PT. Segundo a assessoria de imprensa, o prefeito tomou decisões administrativas e não pretende comentar as demissões. Políticos ligados ao prefeito, no entanto, confirmaram que ele já não estava agüentando as cobranças dos antigos coligados. A gota d?água foi um pedido de explicações formulado pelo vereador petista Maurício Tavares, em sessão da Câmara, sobre a contratação de uma empresa para reconstruir uma ponte sobre o Rio Guaçu, levada pelas enchentes há seis meses, num dos principais acessos da cidade. O prefeito dispensou a licitação para a obra, alegando seu caráter emergencial. O vereador não se conformou com a falta de licitação, já que em seis meses a prefeitura tivera tempo para realizar a concorrência pública. O vereador José Carlos Barone Garcia (PMDB), filho do prefeito, assumiu a defesa do pai e anunciou o rompimento com o PT. Foram demitidos todos os funcionários em cargos de confiança de primeiro escalão que tinham ligação com o PT, entre eles o chefe da Vigilância Sanitária, Maximiano Tagliassachi, o diretor de departamento Paulo Sérgio Rodrigues, a diretora de planejamento e meio ambiente Ildéia Maria de Souza e o assessor técnico de gabinete Wagner Alvarez de Oliveira. O vice-prefeito disse que nenhum integrante do partido foi avisado do fim da coligação. Segundo Rodrigues, se a posição for mantida, o PT passará a fazer oposição ao prefeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.