Prefeito edita lei para doar cachorros

O prefeito do município de Cesário Lange, no interior de São Paulo, Élbio Aparecido Trevisan (PTB) sancionou lei aprovada pela Câmara no dia 9 deste mês autorizando a prefeitura a doar dois cachorros pertencentes ao patrimônio municipal. A decisão foi tomada porque os animais davam gastos excessivos ao município, localizado a 145 quilômetros da capital paulista. "Eles só aceitam ração da marca mais cara", disse o diretor de trânsito, obras viárias e fiscalização, João Antônio de Almeida.Os cães, um farejador macho de cor dourada, da raça golder retriever, que atende pelo nome de Bóris Goldfellow, e um pastor alemão preto de nome Thomas Black, foram adquiridos na administração passada para atuar na segurança do município. Eles receberam números de inscrição no patrimônio público. "O plano era usá-los no policiamento, mas não temos guarda municipal", disse Almeida. Os animais eram mantidos em um pequeno canil, onde recebiam treinamento. Quando assumiu o cargo, o prefeito verificou que as despesas de manutenção eram altas. "Eles consumiam um saco de ração a cada dez dias e ainda precisavam de acompanhamento veterinário", contou o diretor. Também havia despesas com as horas extras do funcionário que os tratava nos fins de semana. "Contando tudo, o gasto chegava a uns R$ 500,00 por mês." Para complicar, o tratador dos animais, Edmar Poles, adquiriu uma virose canina e chegou a ser internado em um hospital.Na Câmara, o projeto que autorizava a doação dos animais causou polêmica, mas foi aprovado. Os dois cães já estão com seus novos donos. O farejador voltou para a criadora que o havia fornecido à prefeitura. O pastor alemão foi disputado por dois pretendentes e acabou sendo levado por um policial militar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.