Prefeito muda cúpula da Sanasa em Campinas

O prefeito de Campinas, Demétrio Vilagra (PT), anunciou nesta terça-feira mudanças na presidência e na diretoria da Sanasa, a empresa de abastecimento da cidade apontada pelo Ministério Público Estadual. Ao longo das denúncias que derrubaram o prefeito anterior, Hélio dos Santos (PDT), a Sanasa foi apontada como núcleo onde atuou uma suposta quadrilha que teria desviado recursos e praticado fraudes em licitações.

Tatiana Fávaro / CAMPINAS, O Estado de S.Paulo

01 Setembro 2011 | 00h00

Vilagra convidou para o lugar do atual presidente, Lauro Péricles Gonçalves, o ex-secretário Fernando Pupo (Habitação), que ainda não respondeu ao convite. A mudança será feita no dia 16 de setembro, conforme informou o prefeito anteontem.

O novo prefeito não admitiu que a mudança tenha sido motivada pela contratação, por R$ 15 milhões, da empresa Gutierrez Empreendimentos e Participações Ltda., mas disse que considera essencial que a Sanasa esteja afinada com o governo. Por isso, avisou, não pode deixar de ter transparência nas suas ações.

Não avisado. O prefeito não tinha sido informado da contratação da Gutierrez, publicada no Diário Oficial da cidade. A empresa é investigada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no suposto esquema de corrupção.

Vilagra anunciou ainda o nome do advogado Nilson Lucílio para a chefia de Gabinete, cargo antes ocupado pela ex-primeira dama Rosely Nassim dos Santos - que era apontada, nas investigações do Ministério Público, , como chefe da suposta quadrilha.

Além disso, o prefeito nomeou o jornalista Otávio Antunes para a pasta de Comunicação, antes ocupada por Francisco de Lagos, também acusado pelo Gaeco de estar envolvido nas irregularidades da gestão anterior.

Após o anúncio dessas modificações, , Vilagra viajou para Brasília. No fim do dia, sua assessoria informou que, nos contatos feitos com o governo federal, ele conseguiu a promessa de liberação de R$ 75 milhões, dentro do PAC 2, para novas obras de saneamento na cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.