Prefeito pede de volta as mochilas que doou

O prefeito de Cabreúva, José Leonel Santi, mandou recolher as mochilas distribuídas para alunos da rede pública pela administração municipal. A medida gerou polêmica na cidade e o caso foi parar na polícia. Santi determinou que as mochilas fossem recolhidas daqueles que tiraram um adesivo com o brasão da prefeitura. No adesivo colado nas bolsas também há o slogan do governo municipal e o período da administração de Santi. Cerca de 4,2 mil mochilas escolares foram distribuídas para os alunos, mas, até o momento, não se sabe quantas já foram recolhidas. Muitos estudantes ficaram decepcionados com a medida e as mães acabaram prestando queixa na Delegacia Seccional de Jundiaí.Segundo o delegado Orlando Pavan, o prefeito pode ser processado por ter submetido as crianças a vexame ou constrangimento, crime cuja pena é de até dois anos de prisão. Santi admite que mandou mesmo recolher as mochilas. "A ordem foi do prefeito, eu gosto das coisas certas, o presente não foi comprado com dinheiro do prefeito, é dinheiro público. Eu tenho de prestar contas. E se vem o Tribunal de Contas e pergunta onde estão as mochilas? indagou. "A gente até pede desculpas porque jamais se pode magoar uma criança", disse o prefeito ao Bom Dia SP, da TV Globo.

Agencia Estado,

22 de agosto de 2003 | 10h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.