Prefeito sugere empréstimo bancário no lugar de salário

Alegando falta de dinheiro para pagar os funcionários públicos, o prefeito de Carapicuíba, na Grande São Paulo, pediu aos profissionais da educação que efetuassem empréstimo pessoal. Os professores de educação infantil da rede municipal da cidade se reuniram na quinta-feira em assembléia com a Associação de Professores do Estado de São Paulo (Apeoesp) para definir quais medidas tomariam contra a Prefeitura.Os funcionários ainda não receberam o salário do mês de setembro e, segundo eles, o prefeito da cidade, Fuad Gabriel Chucre, do PSDB, afirmou que não tem condições de pagar os meses de outubro e novembro. Por essa razão, solicitou que todos os professores fizessem um empréstimo pessoal nos bancos Santander Banespa ou Banco do Brasil da cidade para futuro ressarcimento, sem previsão de data.Todos os funcionários foram dispensados mais cedo para ir ao banco efetuar o empréstimo pessoal. Indignados, os professores se recusaram a assinar qualquer documento sem a garantia de ressarcimento da prefeitura. Sem um pronunciamento da prefeitura, os professores prometem entrar em greve a partir do dia 31 deste mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.