Prefeitos do PT vivem clima de medo

Desde setembro, com o assassinato do colega de partido, o prefeito de Campinas Antonio da Costa Santos, o "Toninho do PT", os 38 prefeitos petistas do Estado estão vivendo em clima de medo. A situação se complicou ainda mais em novembro, quando pelo menos 25 deles receberam cartas ameaçadoras da Farb (Frente de Ação Revolucionária) e alguns políticos sofreram atentados, como tentativa de seqüestro. Foi nessa mesma época que o prefeito de Santo André Celso Daniel, seqüestrado ontem, também recebeu uma dessas correspondências.Apavorados, 15 prefeitos da região de Ribeirão Preto, que comandam juntos uma população estimada de 1,8 milhão de habitantes, fizeram ampla reunião na cidade. Participaram do encontro Nelson Frateschi, presidente do diretório Estadual do PT e Rui Falcão, secretário de governo de Marta Suplicy.A reunião estava cercada de seguranças e o prefeito de Bebedouro Davi Peres de Aguiar anunciou que estava de colete à prova de balas. Tomou a decisão após uma cruz de madeira ter sido colocada durante a madrugada em frente ao diretório do partido na cidade.Os petistas encaminharam um documento ao secretário estadual de Segurança Pública, Marco Vinício Petrelluzzi, pedindo a investigação do caso. Nada foi feito. A Seccional de Ribeirão Preto chegou a designar um delegado para acompanhar os trabalhos, mas a polícia deixava claro que seria missão quase impossível chegar aos autores.Poucos dias depois, em 28 de novembro, o prefeito de Embu, Geraldo Cruz, foi vítima de um atentado com uma bomba de fabricação caseira que explodiu em sua casa. Ele e a mulher tiveram ferimentos leves. Em dezembro, a PF anunciou que investigaria o caso mas até agora nada foi concluído. As cartas aos foram postadas em Ribeirão Preto. O endereço é de uma rua do centro da cidade. A correspondência tinha em média quatro folhas digitadas e vários erros de português. Além disso, em muitos trechos, o raciocínio do autor era completamente desconexo. As cartas deixavam claro o ódio do remetente ao Partido dos Trabalhadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.