Prefeitos pedem compensação por água captada

Os 39 municípios da região metropolitana, incluindo a capital, querem compensação financeira pela água produzida em seus mananciais, captada pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).Para discutir de que forma e quem pagaria por isso, se a Sabesp ou o Estado, os prefeitos ou seus representantes reuniram-se, nesta quinta-feira à tarde, no gabinete da prefeita Marta Suplicy, no Palácio das Indústrias.Eles alegam que essa compensação já está prevista em lei, mas falta regulamentação. Os prefeitos também querem que o Orçamento do Estado, em discussão na Assembléia Legislativa, preveja recursos para investimento na proteção dos mananciais.Na quarta-feira, representantes das cidades vão reunir-se com o presidente da Casa, Walter Feldman, para discutir o assunto. Os prefeitos alegam que não é justo os municípios não receberem pela água que produzem e têm obrigação de proteger."Cem por cento do meu território é área de manancial", diz o prefeito de Embu-Guaçu, Válter Marques (PTB). "Isso causa restrições ao desenvolvimento. Não é qualquer indústria que pode instalar-se lá."A secretária do Meio Ambiente de São Paulo, Stela Goldstein, presente ao encontro, explicou que a cidade tomou a iniciativa de reunir os prefeitos porque a capital é a maior consumidora e também poluidora de água da região metropolitana. "Por isso nos preocupamos com os recursos hídricos. Eles estão escassos e precisamos de recursos para preservá-los."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.